Filosofia

 

Filosofia Impressa

“Evolução é um ato natural,

o sofrimento para tal, é escolha.”

 

Filosofia Dos Filhos de Aram Kaá

Orixá, Orí, Olorí e inúmeros outros termos são utilizados na nomenclatura dessa filosofia para expressar O que, Como e Porque das ações humanas diante do que o mundo nos apresenta. Também traduz maneiras de utilizarmos esses artifícios para que cheguemos ao pico de nossa busca nesse planeta: A Felicidade.
 
Partimos de um principio pensante, Um Mestre que nos traz luz a escuridão em que nos encontrávamos e, com amor e divina boa vontade nos ensina, dentro de nossa pequenez. A viabilidade de seus ensinamentos para nossas vidas cotidianas é imensuravel. Abaixo tentamos esclarecer alguns de seus conhecimentos. Sabemos que, ao nos expressarmos através de palavras, naturalmente perdemos certa capacidade de entendimento que é adquirido através da vivência. Por esse motivo entendemos que, para aqueles que desejam saber mais é necessário muito mais do que essas simbólicas explicações.
 
 
 
As Potencialidades Individuais
 
Todos, indistintamente de nossas crenças ou vivencias trazemos Dons naturais, essências de nossa ligação com o Sagrado (Ver o significado desse termo como interação com a dinâmica de Deus). Essas essências naturais podem se transformar em capacidades individuais, se bem conduzidas, ou,de outra maneira, em tormentos pessoais e grupais. Um bom exemplo disso são cientistas que, ao desejarem criar evolução tecnológica, fomentam a corrida armamentista através de seus inventos.  Isso ocorre através da interação entre o que o mundo nos apresenta e a forma como reagimos a essa apresentação, que pode ser feliz o traumática.
 
As potencialidades geradas através dessa interação podem ser desenvolvidas, transformadas e até criadas através da busca e dos estudos externos (observações, leituras, conversações) e também através da intuição, alfabeto da espiritualidade.
 
Para que haja um desenvolvimento de uma potencialidade em sua forma mais pura e benéfica à humanidade são necessário alguns requisitos como a Ética espiritual, desejo de criar para o bem e pelo bem e viver em conformidade com as leis naturais.
 
Portanto, os dons existem naturalmente, porém as potencialidades individuais podem ser trabalhadas para um viver mais harmônico e prazeroso.
 
 
As Iniciações
 
Com uma interação entre Olori (Mestre ancestral) e Ori ( mundo interno, ser ligado a sabedorio natural...)Temos um transformar de forças entre o presente e o passado, entre o viver e o saber. Essa interação facilita e fomenta as potencialidades individuais e com isso os processos que conduzem a felicidade plena.
 
Através de momentos únicos que acontecem nas vivencias entre babalorixás (pais de segredo) e os Iawôs (iniciantes) surgem entendimentos de que as interações entre a criação são tão complexas (holismo) e reais que podem ocasionar a felicidade ou a retração. Desse conhecimento nasce a verdade real sobre as causas e as consequências...
 
Causas e consequências
 
Os amores, alegrias, angústias e tormentos do momento atual são naturais reações e efeitos das buscas que empenhamos em algum momento de nossas trajetórias individuais e coletivas. Essas, conscientes ou inconscientes; da atual encarnação ou mesmo de outras. Buscando entender essa dinâmica, os Filhos do Mestre, através dos rituais organizados, fortalecem o conceito de interação espiritual para descarregar vibrações e traumas. Os momentos das Sessões publicas são canais pelos quais são unidas dimensões espirituais que de outra maneira não teríamos possibilidade, e com isso geram forças suficientes para essa descarga.
 
 
Os Orixás
 
Na intenção de descrever algo tão complexo desejamos que se leve em conta que esse conhecimento é, de todas as maneiras dirigido aos Filhos De Aram Kaá, não como forma de conhecimento geral ou para outras tradições. Nosso respeito incondicional a todas e seus saberes.
 
Os executores de toda a criação visível e invisível, os Orixás são forças geradoras que em algum momento desprenderam de si dualidades que se complementam, como o positivo e o negativo, masculino e o feminino. Na geração desses dois princípios, o masculino e o feminino deu-se o ponto de partida para a criação do universo visível em toda sua infinitude. Os sois, galáxias e planetas nascem desses dois princípios e com eles, em algum momento as consciências humanas que depois habitariam muitas moradas. Uma delas é o Planeta Terra.
 
Ao reencarnarmos no planeta temos a interação de uma dessas forças sobre nós. Junto a isso recebemos a presença de um ancestral que esta diretamente ligado a essa luz (Olori) que pode vir a se aproximar (iniciações) ou não. Essa interação entre esse Orixá e o Reencarnante traz o que denominamos “molde de personalidade”, as maneiras de interpretação psicológicas e afetivas com o que o mundo se apresenta. Por isso das grandes semelhanças entre os “filhos do mesmo Orixá”.
 
Procurando saber (autoconsciência)  O que somos, como somos e Porque somos, através de nosso molde de personalidade (Orixá de cabeça) temos a possibilidade de “ajustes”de personalidade e com isso possibilidades mais firmes de encontro com a saúde, paz e prosperidade.
 
A Grande Busca
 
O mestre nos ensina o Valor real de cada momento e busca que executamos em nossas caminhadas. Temos todas as probabilidades e podemos nos dar algumas possibilidades. Então temos as probabilidades do que desejamos e as possibilidades de como alcança-las. Nascem três buscas humanas e com elas uma, que é o resultado positivo ou negativo das três. A busca pela saúde, pela paz e pela prosperidade são tão humanas que dispensam comentários e explicações. A quarta busca nasce, como disse, das vivências, afetos e desafetos criados nas outras três. A denominamos Evolução Espiritual.
 
Saúde
 
Em todos nós é inato o desejo de viver. Por isso a saúde física precisa ser valorizada. Pelos desajustes traumatizantes do passado criamos sutis maneiras de tirar o que herdamos da natureza, um corpo saudável. Esses desajustes podem afetar apenas a um individuo (psicossoma) ou um grupo (holossoma). Assim podemos divisar um entendimento de porque crianças nascem com doenças graves. Por isso esse mestre nos ensina a limpar, purgar, desintoxicar nossos corpos sutis de enfermidades através das sessões publicas e Vivências Espirituais com as Forças Sagradas da Natureza.
 
Paz
 
Um conceito com dimensões muito profundas nas interações psicossociais. A paz é muito mais uma intenção do que um objeto de consumo emocional. Naturalmente nascendo das interações afetivas não é possível dimensionar sua qualidade ou quantidade. Para uma criança a paz é estar em casa com seus pais. Para a mãe dessa criança é estar em um momento com esse filho e o marido, na casa da praia. Para o pai é abastar-se com os valores financeiros que julga suficientes. Assim podem entender que mesmo vivendo “a mesma vida” as dimensões de felicidade são individuais e momentâneas.
 
Por isso o Mestre nos ensina o ato de não julgar (perdão e auto perdão), buscando com isso ligar nossas capacidades individuais (axé pessoal) as capacidades de todos      ( axé coletivo). “Onde um perde todos perdem, onde um ganha todos...”
 
Prosperidade
 
Em um momento da história onde “vencer na vida” é sinônimo de inversões e adequações éticas e morais para o pessoal, o Mestre nos ensina a encarar a prosperidade como busca pela felicidade, sem ferir ou interferir no caminho do outro é o correto. Sabemos que isso, em alguns momentos parece utopia, porém a dificuldade dessa proposição é apenas em gerar a intenção certa, movimentando as leis da causalidade, para que as consequências se tornem naturalmente positivas. O valor real do trabalho é que cria as formas.
 
Evolução Espiritual
 
Natural consequência das escolhas geradas pelas três buscas humanas. Também, pelas leis causais, tem intima relação a felicidade e, por outro lado com os transtornos e traumas que dificultam uma vida plena.
 
A Filosofia Expressa
 
 
Os elementos físicos
 
O sangue
 
A Tradição dos Filhos de Aram Kaá não usa utiliza rituais com sacrificios animais. O Templo, através de sua Filosofia entende a finalidade dos sacrifícios, usados há tanto tempo pelos agrupamentos humanos, e não desmerece suas funções energéticas. Sabemos que sacrificar é sacralizar (tornar sagrado), portanto, que não é matança desenfreada, ou com fins negros, como alguns vociferam. Os animais, nestes casos, são tratados exclusivamente para tal fim, e o que é usado são suas vísceras (inhelas) como Axé do orixá, e a carne é distribuída como alimento para a sociedade do culto (salvo pequenas diferenças). Para aqueles que espraguejam sobre tais matanças seria interessante se perguntarem sobre como são abatidos os animais em um abatedouro?
 
Os Templos dos Filhos de Aram Kaá tem como base o uso de ervas para obtenção do Axé necesssario para seus ritos.
 
Bebidas alucinógenas
 
Qualquer bebida alucinógena, que possa alterar a consciência do médium é rejeitada dentro dos Templos. Sabemos que em todas as culturas indígenas (não só as americanas) o uso de alucinógenos era e é pratica comum para se chegar ao sagrado. Entorpecer-se com bebidas e fumos auxiliava na abertura de consciência astral. Praticas como estas ainda estão em voga em certas comunidades. Sabe-se que o éter exalado das bebidas, tem funções terapêuticas no corpo etérico, sob os comandos magísticos dos mestres da luz que militam nas casas e são de grande valor na limpeza de larvas e miasmas etéricos, astrais e mentais. Conhecemos as suas funções, mas desejamos médiuns conscientes e retos, sem estímulos externos para sua sensitividade.
 
O Fumo
 
O fumo, em seu conteúdo litúrgico é poderoso na dissolução de energias de baixo calão, como os já citados miasmas e larvas astrais e mentais. Preferencialmente os fumos menos industrializados ( fumo de corda) que garantem, ao serem queimados, a queima de criaturas indesejáveis no aura dos consulentes. O fumo, em sentido litúrgico não causa danos ou dependência, pois a fumaça não é tragada pelo médium e seu uso não é indiscriminado. Mesmo sabendo e entendendo suas propriedades terapêuticas os Templos abdica de seu uso, por entender que a fumaça exalada é respirada pelos consulentes, que em sua maioria são famílias inteiras, inclusive crianças. O nosso respeito a todos os consulentes fez com que busquemos outras formas para as ditas limpezas.
 
Os Rituais
 
Os ritos são mantos que envolvem os atos sagrados. Dentro das capacidades dos Templos dos filhos de Aram Kaá, originaram-se rituais e vivências espirituais que buscam expressar toda a dinâmica da Filosofia Originada do Mestre. O trabalho “em campo” tece uma teia que identifica e aciona a busca dos iniciados, em sua espiritualidade ativa (aquele que doa seu axé com amor) com os consulentes em sua espiritualidade passiva (aquele que recebe com amor).
 
Nas giras publicas acontece essa interação com maior ênfase, onde uma das forças espirituais, (Iniciados) se coloca em conexão com a outra, (os consulentes), e a partir desses momentos mágicos, surgem milhares de curas milagrosas, que nos são relatadas.